sábado, 12 de dezembro de 2009

AS DOZE TRADIÇÕES DE MADA



1. Nosso bem estar comum deve estar em primeiro lugar; A reabilitação individual depende da unidade de MADA.
2. Somente uma autoridade preside, em última análise, ao nosso propósito comum: - um Deus amantíssimo que se manifesta em nossa consciência coletiva. Nossas líderes são apenas servidoras de confiança, não têm poderes para governar.
3. Para se membro de MADA, o único requisito é o desejo de evitar relacionamentos destrutivos.
4. Cada Grupo de MADA deve ser autônomo, salvo em assuntos que afetem a outros Grupos ou a MADA como um todo.
5. Cada Grupo possui apenas um único propósito primordial: Transmitir a mensagem à mulher que ainda sofre.
6. Nenhum Grupo de MADA jamais deverá sancionar, financiar ou emprestar o nome de MADA a qualquer sociedade ou empreendimento alheios à Irmandade a fim de evitar que problemas de dinheiro, propriedade ou prestígio nos desviem do nosso propósito primordial.
7. Todos os Grupos de MADA deverão ser absolutamente auto-suficientes, rejeitando quaisquer contribuições ou doações de fora.
8. MADA deverá manter-se sempre não-profissional, embora nossos centros de serviço possam contratar funcionários especializados.
9. MADA jamais deverá organizar-se como tal; podemos, porém criar comitês ou juntas de serviço, diretamente responsáveis perante aqueles a quem prestam serviço.
10. MADA não opina por questões alheias à irmandade, portanto o nome de MADA jamais deverá aparecer em controvérsias públicas.
11. Nossa política de relações públicas baseia-se na atração, não na promoção. Cabe-nos sempre preservar o anonimato pessoal na imprensa, rádio, cinema, televisão ou em outros meios públicos de comunicação.
12. O anonimato é o alicerce espiritual de nossas Tradições, lembrando-nos sempre da necessidade de colocar os princípios acima das personalidades.

3 comentários:

  1. Não vejo a hora de poder fazer parte dessa irmandade...
    Graças a deus tenho onde conseguir ajuda para conseguir ser uma pessoa melhor e conseguir me curar desse amor obsessivo...

    ResponderExcluir